Categoria: Inside

ÚLTIMO DIA com as BIGs CORPORAÇÕES

VERIZON VENTURES, SANTANDER INNOVENTURES, BOEING HORIZONX, TELUS VENTURE, PEPSICO TECHNOLOGY VENTURES E SCHNEIDER ELECTRIC VENTURES, como andam os investimentos de CORPORATE VENTURES em 2020?

 

Começando pelas boas notícias: nenhuma delas diminuiu o ritmo.

Passaram os primeiros meses da pandemia ajudando na sustentação do portfólio. Apesar do impedimento de due diligence in loco, o que para indústrias que trabalham com hardware, plásticos, substâncias é uma mudança substancial de processo, continuaram a trazer novos negócios. “Estamos abertos, mas com olhos mais atentos, com o processo a distância”, ressalta Jay Crone, da Telus Venture. Santander acelerou a tese. Trouxe mais 5 startups para dentro. Relembrando: A a55, brasileira foi uma delas. Critério geral: “Como seu modelo se comporta na incerteza?”, revela Chris Gottchalk.

 

VAI VOAR?

Longa distância? A Boeing HorizonX  busca startups que estejam desenvolvendo soluções para tornar os voos  mais confortáveis, frente às exigências causadas pela PANDEMIA. De preferência soluções touchless. Alguma ideia?

 

OTIMISTA ou REALISTA?

Que tom vai guiar seu slide deck, principalmente quanto a números e projeções? Andrew Clapp, da CIG CAP, aconselha: previsão ajuda o investidor a entender onde você quer chegar e o quanto você presta atenção aos detalhes, nessas projeções. Mas afinal, jogar os números no topo do sucesso ou ser mais conservador? Bom, ele falou, falou, mas não respondeu. Das entrelinhas podemos concluir: Conservador demais pode desestimular o investidor. E ir alto demais pode mostrar um sonhador. Calibre pela cultura do fundo e da indústria.

 

O QUE FAZ VOCÊ FECHAR UM GOOD DEAL?

A resposta aqui é direta: Único fundo do painel que investe na América Latina, WIND VENTURE ( aporte na CARGO), considera: “equipe que aprende rápido, modelo escalável, fit perfeito do produto”, conta Sean Simpson, que relembra os setores em que investem: mobilidade, energia e retail.

 

CONHEÇA OS NEGOCIADORES

Excelente workshop com a simulação de uma negociação contratual na série A. Dos dois lados, advogados da McCarter & English LLP, que disponibilizaram um template com TERM SHEETS, em pdf. Quer? Só mandar email que a gente envia. Resultado da simulação? Para deixar você mais tranquilo, uma hora e não avançaram quase nada nos mesmos pontos em que sempre empacamos: percentual, exit, diluição… Bom, se sentir normal, mesmo entre os grandes, não?

 

FIRST MEETING

Vai abordar por email, as dicas são de Jun Deng, Joyance Partners:

  • capriche no título,
  • envolva na introdução,
  • muito texto nem pensar.

 

E: tente não pedir, mas oferecer um conteúdo que crie curiosidade para motivar o encontro.

 

Na segunda, liberaremos mais alguns conteúdos para complementar:

  1. VC contam como saber se você está pronto para o pitch?
  2. Healthcare e Life Sciences: para onde vamos agora?
  3. Board members: o que os fundos querem ver?

Esperamos que tenham aproveitado o resumo!

 

Quer conversar mais sobre esses temas? katiamenezes@mediapool.com.br

O que todos querem saber: tem dinheiro?

PERGUNTA NOVA:

Já estamos acostumados com uma lista de perguntas que vem de investidores, mas agora podemos acrescentar mais uma: Como sua empresa se comporta no cenário COVID? Mas, ao contrário do que podemos supor instantaneamente, a “curiosidade” não é exatamente por conta da pandemia em si. O interesse está em ver como o CEO vê a elasticidade do seu produto/serviço frente a diferentes cenários. Pronto para responder?

Se ainda não, vai a dica de Jordan Wahbeh, SILICON VALLEY GROUP: “Trata-se de rever o propósito, para acomodar algumas das necessidades criadas pela COVID, mas não aposte a casa nisso. Não mude completamente o negócio para esse propósito porque em poucos meses, será um procedimento padrão para todos.”, diz Jordan.

 

HEALTHCARE LIDERA OS INVESTIMENTOS?

Engana-se quem acredita que todos os fundos estão buscando só negócios ligados diretamente à pandemia. “Realmente houve um aumento no foco de Healthcare e Wellness, mas, nós na MEDA ANGELS, priorizamos empresas que apresentem uma solução que percebemos que sobrevive a mais longo prazo”, conta Elizabeth Cho-Fertikh: “Não diminuímos nossa atividade durante a pandemia, mas dissecamos mais cada oportunidade”.

INVESTIMENTOS ANGEL SUMIRAM?

Outra contribuição de Jordan Wahbed, a lembrança de que os investimentos no estágio Angel, no mundo, caíram pela metade:

  • foram USD 4 billion no Q4 e USD 2,2 billion, no Q2.   E o investimento por startup também reduziu.
  • cenário de Venture capital sofreu “menos”, como um todo, caindo “só” 27%, ao comparar a primeira metade de 2019 e à primeira metade de 2020.”

Desanimado?

Não!

Fabrice Grinda, FJ Labs, ressalta que a crise de 2009 trouxe soluções inovadoras como Uber, Airbnb… Claro que isso você já sabia, mas não custa abrir a mente. David Rose, Rose Tech Ventures, baseado nos estudos da Singularity University, é ainda mais otimista: “melhor momento para começar uma empresa. Estamos em plena ascensão da revolução tecnológica”.

 

O QUE OS INVESTIDORES BUSCAM PRIMEIRO EM UMA STARTUP?

 

Lake Dai, LDV Partners : “ A habilidade de aprender e adaptar”.

Elizabeth Cho-Fertikh:  “ Um time excelente de advisors “.

Fabrice Grinda: “CEO tem que ser um ótimo storyteller, mas também um caçador de números. Tem que ter as duas habilidades”.

David Rose busca: “Integridade. Vamos ver como trata os empregados, como tomou decisões na vida. Ouvimos até mesmo os competidores.”

Você é investidor? Qual o seu driver, na hora de decidir?  Manda pra gente! 

 

CINCO MUST DO, Por Jeff Hofman

 

  1. Ganhe a medalha de ouro: “ninguém ganha medalha de ouro em diferentes modalidades”. Você escolhe uma e treina. Escolha seu produto/serviço e aprenda a dizer não a oportunidades que não se encaixam na sua estratégia. Por 7 anos a Amazon só vendeu livros…
  2. Capital Humano: “ Investimento não é o caminho para o crescimento, talento sim”. Se não tiver um time eficiente, para onde vai o dinheiro? E mais:” você não vai escalar seu negócio até você mesmo sair do caminho. Cerque-se de pessoas mais espertas que você e saia do caminho deles”.
  3. Faça o perfil do cliente que diz SIM : “ busque aquele que compra seu negócio no segundo slide. E não o que assiste a toda a apresentação e diz que vai pensar”. Para isso, “busque o que os que compraram seu produto têm em comum”. Aposte nos que estão dispostos a arriscar. Se alguém está há 15 anos no mesmo cargo, provavelmente não vai querer arriscar tanto quanto alguém que ainda precisa mostrar serviço”.
  4. Objetivo na parede: “escreva num lugar onde todos os empregados possam ver e é isso que vai dirigir sua companhia”.
  5. Venda a mudança na vida de alguém e não um produto.

Passando pelas dicas parece que a gente já ouviu isso em algum momento. Nada de novo…

Mas: Colocamos em prática?

Conta sua experiência pra gente publicar!

E, claro que em 9 horas de evento, teve mais. Para não ocupar sem tempo todo de uma vez, vamos compartilhar depois!

 

VENTURY SUMMIT: highlights do primeiro dia  

 

Afinal, edição digital aproxima ou afasta? Caso a caso, no Ventury Summit, da Youngstartup, a agilidade em enviar e responder perguntas foi um diferencial até mesmo para o evento, que, no mundo físico, já é conhecido por encurtar distâncias entre empreendedores e investidores.

 

QUAL O CLIMA PARA INVESTIR EM EARLY STAGES?

Resposta simples que todos os participantes do painel concordaram: slow pace, mas atuantes. Focados em oportunidades que surgem de dentro ou com aval direto do círculo de networking. Em um cenário de 12 meses, a tendência é manterem a pipeline que estão trabalhando e áreas de atuação. E, talvez mudança de cenário para um prazo até 36 meses.

Paralelamente, Union Grove continua a estudar a diversificação do portfólio, mas como dissemos: sem pressa. O que você e todo mundo daqui queria saber:  Nada específico de América Latina na conversa. O Oriente médio parece ter mais chances no momento.

Participantes: Greg Bohlen e Patrick Cairns, da Union Grove. E ainda: James Trey Hart da 50 South Capital e Lindel Eakman, Foundry Group.  

 

CHANCE EXTRA

Vários empreendedores que não se inscreveram para apresentar seus pitches, puderam fazê-lo mesmo assim, durante a sessão Pitch Elevator, com David Maltzer. O que precisa ter num pitch de 1 minuto? “Você não pode ocupar o tempo de uma pessoa e não dizer claramente o que quer dela”, diz ele. O bom e famoso call to action. E fez outro alerta: “Não inclua informações que possam causar estranhamento”.Qualquer informação que cause questionamento vai influenciar na credibilidade. Deixe essas informações para um pitch em que tenha mais tempo para explicar, aconselha.  Foco na dor que resolve e no como resolve.

 

PARA STARTUPS, TALENTO É:

Recrutar pelas skills ou pelo fit com a cultura? A gente não se livra dessa pergunta, né? Mas não custa ouvir mais uma opinião… “Depende”, defende Jill Chapman, da Inspirity. Qual a equação que define: você vai ter tempo para treinar? E sua demanda quanto a essa habilidade é imediata? Se precisa já, contrate pela habilidade, diz ela. Mas não descuide do fit com a cultura. Ou você pode resolver um problema momentaneamente e criar outro no longo prazo. Ajudou, mas não ajudou, não é? O desafio continua.

 

 

PASSO A PASSO É SEMPRE EXCELENTE

Mesmo quando a gente acha que já sabe, a gente às vezes esquece um detalhe ou outro. A BOSS CAPITAL PARTNERS, dividiu os 6 passos da THE NORTH STAR, metodologia deles com os participantes. Destaque para o item impacto: “Trabalhe problema, solução, mas trabalhe mais sobre o impacto que a solução provoca”. Tem aqui que você acha que é o impacto e tem aquilo que realmente é. Confuso? Randall LaVeau sugere mais trabalho, durante a definição de Ideal Customer Profile e Ideal Buyer Profile, para definir claramente esse valor. Invista mais tempo e mais detalhamento nessa etapa!

E, para dormir pensando: sua companhia economiza ou produz dinheiro? Em época de pouca circulação de $$, as que economizam ganham mercado.

Amanhã tem uma nova sessão e mais dicas deles. Aliás…

 

AMANHÃ O DIA COMEÇA COM:

Jeff Hoffman, co-fundador da Priceline.com. Jeff, além de premiado por suas iniciativas empreendedoras, tem outros talentos: É palestrante motivacional, autor do best-seller, produtor de filme em Hollywood e de um álbum de jazz vencedor do Grammy e produtor executivo de um programa de televisão vencedor do Emmy. Ele fala sobre? O caminho de startup a líder de mercado. E que mercado, heim? Em épocas de pandemia, como estará?

 

Até lá!

 

Katia Menezes

Founder – Mediapool/ itFits